Pesquise aqui...
TOP
Uncategorized

Você acha que essa roupa está boa?

Pense rápido: quantas vezes você já fez a pergunta que intitula este post a sua mãe, irmã ou melhor amiga? Aposto que muitas, né? Eu já perdi as contas! É sempre bom ter uma segunda opinião, oras, mas confesso que, ultimamente, tenho tido cada vez menos essa dúvida. E quando alguém me pergunta, eu volto a pergunta para pessoa, perguntando o que ela própria acha da roupa que está vestindo. 
Não é que eu não precise da opinião dos outros, mas tenho dado mais atenção a minha própria. Quantas vezes já desisti de usar uma roupa que eu, de fato, me senti bonita por causa da reprovação de terceiros? Ah, nem conto para vocês quantos olhares incômodos já fizeram com que eu quisesse voltar correndo para casa e mudar minha escolha. Autoestima, nestes casos, passa longe, né? 
Depois de pensar bastante sobre isso e começar a trazer todas essas reflexões para a vida real, me sinto à vontade para afirmar que se vestir é um processo de autoconhecimento e também de segurança. No mundo da moda, a gente julga e é julgado o tempo todo. Isso é ruim, mas acontece – e eu não isento a minha culpa. Julgar todo mundo vai, mas a verdadeira questão é: até que ponto você vai deixar a opinião dos outros te atingir?
Quando você se olha no espelho e se sente bonita com aquele vestido super colorido, porque querer afastar este sentimento só porque alguém disse que a escolha foi errada? Todos nós somos diferentes, portanto, nossos pensamentos e gostos, muitas vezes, não batem. E tudo bem eles não baterem, sabe? Imagina que saco o mundo seria se cada pessoa neste planeta curtisse as mesmas coisas, vestissem as mesmas roupas, usassem a mesma maquiagem…. Sono só de imaginar!
Tudo bem mandar uma mensagem no whatsapp pedindo a opinião da sua melhor amiga. Chamar a mãe no quarto para dizer se a sua roupa está boa ou não. Mas, óh, se você precisa de segundas opiniões é porque a escolha não está te agradando tanto assim. Se logo de primeira você já amou o seu visual, coloca um sorriso no rosto e bota ele na rua. Falo a frase “use o que te faz se sentir bem em frente ao espelho” repetidamente para fazer uma espécie de lavagem cerebral (do bem) em vocês, porque né, a função da moda não é oprimir – por mais que algumas pessoas tenham essa ideia em mente.
Tudo bem querer a opinião dos outros, mas, em muitos casos, ela só é válida se não sobrepor a sua própria! 😉

Karla Lopes

Karla Lopes tem 29 anos, é de Belo Horizonte, empresária, jornalista e criadora de conteúdo atuando há 12 anos na internet. Além disso, é a criadora da Lunnare Co., marca de autocuidado holístico que trabalha a magia das ervas. Por aqui, vocês vão encontrar conteúdos autorais de comportamento, bem estar, espiritualidade e beleza. Tem experiência com comunicação criativa, textos de comportamento, produção de moda e cultura e também criação e edição de vídeos para a web.

«

»

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *