Pesquise aqui...
TOP
Uncategorized

Quem disse que mulher negra não pode ser loira?

Mulher negra pode usar o cabelo ao natural, pode alisar, colocar megahair, trocar de peruca todos dias, pintar de azul, de preto, de roxo, raspar… Enfim, ela pode fazer e usar o que ela quiser. A gente cresceu e vive em uma sociedade de padrões e coisas muito bem encaixadas em suas próprias caixinhas. Mas por que não quebrar tais padrões e pensar (e viver!) fora da caixa? Isso é pra lá de necessário! 
E quando eu vejo esse monte de mulheres negras e quebrando esteriótipos, fazendo com seus corpos e cabelos o que elas bem entendem, independentemente do que vão dizer por aí, meu coração se enche de alegria. Chega de repressão! Por isso vim aqui hoje montar um mural de inspirações com dicas de cuidados para você, miga negra, que quer pintar o seu cabelo de loiro – que é para todos, não só para quem tem a pele clara, ok? 
Um dos maiores medos da mulher ao se tornar loira é a agressão que a tintura vai causa nos fios, principalmente quando é preciso descolori-los antes, como acontece na maioria dos casos. Se não cuidar, resseca real oficial. E o cabelo crespo tem a textura mais ressacada naturalmente, o que pode piorar com o processo da tintura. 
Eu conversei com o cabeleireiro Eduardo Augusto, do salão Platinium Visage, aqui de BH, e ele deu as seguintes dicas de cuidados para cabelos crespos e cacheados loiros:
  • Fazer uma hidratação semanalmente, em casa ou no salão. O famoso “banho de creme” é fundamental para devolver a umidade natural dos fios;
  • Uma reconstrução com queratina é recomendada uma vez no mês. Ela age mais profundamente no fio, reconstruindo a fibra capilar e dando resistência, preparando o fio para a próxima descoloração;
  • Fazer uma cauterização capilar é fundamental para quem quer manter o loiro saudável. Durante o processo, o fio perde a proteína e os aminoácidos. A cauterização devolve estas substâncias, selando as escamas;
  • Usar um shampoo e condicionador com pH entre 3 e 4 para balancear o pH natural do cabelo, que gira em torno de 4,5 e 5,5;
  • A dica para manter a cor por mais tempo é evitar lavar o cabelo todos os dias. E, quando lavar, evitar água muito quente. Dar preferência para as temperaturas morna ou fria.

Na blogofera brasileira, uma representante negra que pintou o cabelo de loiro e ficou ainda mais maravilhosa é a Maraísa Fidelis, do Blz Interior?. Conversei com ela que me contou o porquê de ter clareado o seus fios. “Eu te falo que a vida é muito curta para não tentar. Eu sempre quis mudar a cor dos meus fios… Acho legal, acho divertido! Hoje eu sei que pintaria de novo e de novo e de novo. Se o Will, quem cuida dos meus fios, inventar uma cor, eu pinto. Por que me limitar?”.
A Mah me disse que, no começo, ficou com bastante medo porque já estava há dois anos sem colocar um pingo de química em seus fios. Aí no ano passado ela tomou coragem, levou uma foto de referência e pintou pela primeira vez. “Serei bem sincera: não senti o cabelo ressecar, reclamar da cor, sabe?”. Já na segunda vez em que pintou, quis clarear ainda mais os fios. O cabeleireiro a segurou e disse que não dava para chegar à cor que ela queria. 
Desta vez, os fios ficaram escuros que na primeira tintura. “Aí começou: na terceira coloração senti meu cabelo gritar, gritar num grau… Ficou seco pra caramba e eu percebi que não seria qualquer produto que arrumaria a situação”. Ela passou a tratar a lavagem dos seus fios como ritual sagrado, sempre com água fria, em que tem toda a paciência do mundo para passar a máscara, desembaraçar os fios e perceber o que eles precisam. 

“Outra coisa que me ajudou também foi começar a fazer low poo (técnica que elimina alguns agentes usados em produtos para o cabelo)”. Ah, e a blogueira avisa que o seu cabeleireiro não clareou o seu cabelo de uma vez. “Ele fez aos poucos porque, se não, meus fios não aguentariam”, finaliza.
E quando você pintar o seu cabelo, pode ter certeza que vai ter alguém para falar que aquele tom não combina com você por ser negra. Pode ter certeza absoluta! Se não falar, vai pensar. Nessas horas, a gente estufa o peito, joga o cabelo e diz que o que combina com você é o que ter faz feliz em frente ao espelho, certo?
Ou você pode seguir o conselho da Lorena Morena, estudante de Letras e editora do site Mulher Mineira:

“Ouvi muitos comentários de tons racistas de que “a neguinha ia ficar com cabelo de fogo”. Apesar disso tudo, eu arrisquei. Descolori todos os meus fios e senti que, a partir disso, o meu cabelo se transcendeu de uma forma espetacular. Acredito fielmente que o meu cabelo combina muito mais com o loiro do que com o preto. Não existe nada disso de que a pele negra não combina com cor x ou y. Combina com absolutamente tudo aquilo que te deixa linda. E, convenhamos, o que não deixaria?”

Lembre-se: você pode ser o que quiser. Os padrões sociais existem, sim, e a gente, todos os dias, tenta quebrá-los na rua, em casa e dentro da gente. Não é porque as loiras, em sua maioria, são brancas, que a gente, negras, não pode ser também. A gente pode ser o que quiser e a sociedade precisa começar a aceitar isso. 😉 

Karla Lopes

Karla Lopes tem 29 anos, é de Belo Horizonte, empresária, jornalista e criadora de conteúdo atuando há 12 anos na internet. Além disso, é a criadora da Lunnare Co., marca de autocuidado holístico que trabalha a magia das ervas. Por aqui, vocês vão encontrar conteúdos autorais de comportamento, bem estar, espiritualidade e beleza. Tem experiência com comunicação criativa, textos de comportamento, produção de moda e cultura e também criação e edição de vídeos para a web.

«

»

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *