Pesquise aqui...
TOP
Uncategorized

Divagações: desespero pós graduação

“E agora que você formou, o que vai fazer?”. Acho que essa é frase que mais ouvi nos últimos dias. Mais do que ouvir de outras pessoas, ouvi de mim mesma essa pergunta que anda me tirando o sono. Ao sair da faculdade, tenho certeza que muitas de vocês passaram por esse desespero pós graduação. É normal, muitos me dizem. Sei que é, mas o difícil é controlar a ansiedade, aquela vontade de ter uma rotina profissional, acordar cedo para ir trabalhar. 
Durante um mês, dezembro, me dei ao luxo de não surtar. Pensava: tudo bem, vou respirar depois do intenso semestre pós monografia. Saí quase todos os dias com os meus amigos, acampei, viajei e me diverti por uns 15 dias para limpar a cabeça. Foi ótimo mas, agora, pós farra, o desespero vem lembrar que você precisa de um emprego. Afinal, para a ansiedade, o ano não espera o carnaval para começar, né?
Hoje fiquei por um bom tempo procurando vagas para jornalista. Mandei muitos currículos, muitos mesmo. Esperança a gente sempre tempo e o interessado correr atrás, é o que meu pai me diz. Estou meio assustada com o mercado jornalístico. Defendo fortemente que comunicação não se faz só dentro de uma redação de jornal, tv ou rádio (os meios que sempre vêm à cabeça de grande parte das pessoas quando se trata de jornalismo). Sou entusiasta da internet e acredito bastante nas redes sociais como difusores de informação (tema da minha monografia). Acredito tanto que batalho todo dia para o crescimento deste blog em que escrevo. Mas, mesmo levantando essa bandeira, ver demissões em massa em grandes veículos assusta. 
Assusta, mas não afasta. Eu sou ansiosa quando se trata da minha carreira e fico desesperada mesmo. Brinquei com meu pai que se eu não conseguisse um emprego até março, surtaria. Talvez eu consiga, ou não. Talvez surte, ou não. Continuo procurando, desesperada ou não. As contas não esperam. O estilo de vida pede renda. Os planos, como uma pós graduação fora do país, também.
Sei não sou a única nessa situação, muitos dos meus amigos de faculdade também estão desesperados assim. É normal, dizem. Que eu consiga entrar na fase de desespero por ter trabalho demais, nunca de menos. Ah, e vocês souberem de uma vaga para jornalista, claro, já sabem a quem avisar! 😉
Imagem: Mylifeinplastic.com

Karla Lopes

Karla Lopes tem 29 anos, é de Belo Horizonte, empresária, jornalista e criadora de conteúdo atuando há 12 anos na internet. Além disso, é a criadora da Lunnare Co., marca de autocuidado holístico que trabalha a magia das ervas. Por aqui, vocês vão encontrar conteúdos autorais de comportamento, bem estar, espiritualidade e beleza. Tem experiência com comunicação criativa, textos de comportamento, produção de moda e cultura e também criação e edição de vídeos para a web.

«

»

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *