Pesquise aqui...
TOP
Uncategorized

Cineminha: As Palavras

Durante as férias eu virei a louca dos filmes. Como quando estou estudando não tenho tempo de diminuir a minha lista de cinema, aproveitei esses meses sem ter que acordar cedo para passar a madrugada assistindo muito filmes. Baixei alguns que nunca tinha ouvido falar e outros que queria muito assistir. “As Palavras” foi um deles. Fiquei sabendo deste filme por causa do Ben Barnes (<3), o meu amor maior e ator favorito. Já esperava um bom longa por causa do elenco e também pela sinopse. Minhas expectativas não foram frustadas e eu gastei muito bem duas horas da minha vida com uma história linda, agoniante e muito sensível. 
Sinopse: “Estrelado por Bradley Cooper, Jeremy Irons, Dennis Quaid, Olivia Wilde e Zoë Saldana, o drama romântico em camadas “As Palavras” segue a história do jovem escritor Rory Jansen, que finalmente alcança o que vinha procurando: o sucesso literário. Depois de publicar seu grande romance, ele teria tudo para ser feliz, mas há um senão nessa história: ele não escreveu o livro.
Agora, o passado assombra Jansen enquanto sua carreira vai muito bem, mas não há escapatória e em algum momento ele será forçado a enfrentar o alto preço que deve ser pago por roubar o trabalho de outro homem e por colocar a ambição e o sucesso acima das três palavras mais fundamentais da vida.”
Se você não gosta de drama, é melhor nem assistir esse filme. Eu me senti tão, mas tão culpada pelo o que o personagem do Bradley Cooper fez… É loucura, eu sei, mas a história passa o sentimento que ato dele causou para quem está assistindo o filme. No final fiquei pensando em como ganância e o desespero podem atrapalhar a vida de uma pessoa, fazendo com que ela passe por cima de todos os princípios só para conseguir uma carreira de sucesso. 
E pensei também em como isso tudo pode fazer com que a carreira e o dinheiro sejam as únicas companhias desse tipo de gente, provando mais uma vez que uma conta recheada não é nada se, no final do dia, você está sozinho e não consegue descansar a consciência pesada no travesseiro. Complicado, viu… Um ótimo filme para fazer a gente pensar. Trama bonita, triste, com atuações impecáveis e história tocante do jeito que eu gosto. Vale a pena assistir! 😉
TAGS:

Karla Lopes

Karla Lopes tem 29 anos, é de Belo Horizonte, empresária, jornalista e criadora de conteúdo atuando há 12 anos na internet. Além disso, é a criadora da Lunnare Co., marca de autocuidado holístico que trabalha a magia das ervas. Por aqui, vocês vão encontrar conteúdos autorais de comportamento, bem estar, espiritualidade e beleza. Tem experiência com comunicação criativa, textos de comportamento, produção de moda e cultura e também criação e edição de vídeos para a web.

«

»

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *