Search here...
TOP
Comportamento

Sobre a autossabotagem e a minha luta contra ela

Desde o final do ano passado que tenho passado por um processo muito intenso de autoconhecimento. Minha mente pedia por isso, sabe? E nesse processo tenho aprendido muitas coisas boas e ruins sobre mim mesma. É aquela coisa: 27 anos morando no mesmo corpo e a nossa alma continua mostrando coisas novas todos os dias.

Das coisas ruins que aprendi para melhorar, reconheci como me saboto em praticamente todas as áreas da minha vida. Estou limpando crenças a respeito de relacionamentos, trabalho, força, poder pessoal… É uma verdadeira montanha russa de informação em que a gente às vezes até se perde, mas segue firme no propósito de limpar tudo isso que prende os nossos pés com medo de agir.

Eu sempre me sabotei MUITO. Inclusive, fazer este post aqui já é um ato de limpeza nessa sabotagem toda. Eu duvido muito da minha capacidade de trabalho, mesmo! Sempre acho que estou fazendo menos que posso, duvido do quão bom o resultado é… Enfim, a síndrome do impostor grita quando preciso escrever um texto, apresentar um projeto ou fazer qualquer outra coisa que dependa do meu talento e capacidade.

Aprendi a cancelar esses pensamentos todas as vezes que eles surgem em minha mente e essa tem sido a minha melhor ação contra a autossabotagem. Eles aparecem e eu já digo em alto e bom som: cancela! Um ato simples, mas tem me ajudado muito nessa limpeza. É claro que às vezes a insegurança ainda grita, mas estou tentando MUITO silenciar esse lado da minha mente e levantar a voz da crença em mim mesma.

Todo mundo que é próximo a mim fica espantado com a quantidade de coisas que faço todos os dias, mas eu mesma não consigo enxergar essa quantidade e qualidade que me rende tantos elogios.

O que estou aprendendo é: eu nunca falaria para uma amiga visivelmente talentosa que ela não é talentosa. Nunca falaria para uma amiga visivelmente esforçada que ela não faz o suficiente. Também não diria para essa mesma amiga menosprezar ou diminuir os seus feitos. E jamais, JAMAIS, deixaria uma amiga desistir de algo legal só porque ela acha que não é boa, que é uma fraude.

Essa amiga sou eu. Eu conversando comigo mesma. Eu acreditando em mim mesma e me dando forças para continuar trabalhando as minhas capacidades. É isso: a gente tem que se olhar no espelho e ver uma amiga, não uma inimiga que se sabota.

Nessa mudança, estou aprendendo a ser mais gentil comigo mesma – e isso tem me feito muito bem. Estou mais confortável para escrever, pintar, dialogar, colocar minhas ideias no mundo… Nesse processo de ser mais grata a minha capacidade, estou tendo uma relação mais harmônica com ela.

É claro que ainda falta muito para que eu seja 100% segura com meus feitos, mas só de ter iniciado esse processo já me sinto forte o suficiente para saber que a insegurança está enfraquecendo.

E é isso. Às vezes a gente usa esse apego à sabotagem por puro medo de se colocar e se mostrar pro mundo, sabe? Esse medo nem sempre vem de você. Na maioria das vezes é fruto de comparações, pressão social, opiniões alheias… No fundo do seu coração você sabe quem é e o que pode fazer. Então é nele que você tem que confiar!

Hoje eu vejo isso claramente em mim, como um ser à parte que não acrescenta em nada no que acredito e em que eu sou, principalmente. Sou grata a esse sentimento por ele ter me mostrado como me escondo, sabe? Só que agora eu quero deixá-lo ir. E com essa clareza consigo entender que é preciso mudar para que, ao invés de guardar tudo que quero fazer no lado mais fundo e escuro da minha mente, eu me movimente e não pare!

Imagens: Pexels

Karla Lopes

Karla Lopes tem 27 anos, é de Belo Horizonte, blogueira e jornalista trabalhando há 10 anos com produção de conteúdo para a Internet. Além disso, aventura-se com produção de cerâmicas feitas à mão (que são vendidos na minha loja: www.heycutestore.com). Tem experiência com comunicação criativa, textos de comportamento, produção de moda e cultura e também criação e edição de vídeos para a web.

«

»

1 COMMENT

  • Uaaaaaaaaaaaaal! Tudo que eu precisar ler Ka(perdoa a intimidade)! Super grata! Acabo de colocar seu blog no meu relicário de amorzinhos!

Leave a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *